Asiático produz dispositivo que possibilita beijar na boca à distância; é impressionante

Caso você mantenha um relacionamento à distância, uma novidade boa e no mínimo excêntrica está a caminho. Casais que estejam enfrentando a dor de viver separados por quilômetros poderão ao menos saciar a saudade do beijo. Isso se deve graças a um asiático que produziu um dispositivo o qual possibilita gerar “beijos à distancia”.

O produto recebeu o nome de Kissenger. Ele precisa ser conectado ao aparelho celular e a uma conexão via internet, a partir disso ele se tornará sensível ao toque, permitindo que seus usuários sintam o beijo através do dispositivo.

Dar beijos à distancia. Como isso é possível?

O dispositivo foi criado para transferir de um aparelho para outro os movimentos dos beijos enviados por cada usuário. Com o auxilio da câmera do celular, a sensação do beijo pode se tornar ainda mais real, independente de onde a pessoa esteja. O dispositivo ou lábios artificiais são feitos basicamente com silicone, o que permite aos seus usuários uma experiência única.

Para que o beijo seja de fato enviado, o usuário terá que beijar a “almofada” e aguardar o tempo necessário para que o gadget registre todos os movimentos e a pressão, logo após, será enviado um sinal para o outro dispositivo que será responsável por reproduzir o beijo enviado.

O primeiro protótipo do Kissenger foi criado no ano de 2012 e era bem diferente, o dispositivo aparentava a um boneco com lábios. No ano de 2016, o criador do projeto, Hooman Samani, conseguiu obter um financiamento, foi quando o recriou e fez um modelo mais leve e bonito.

“O beijo também ajuda a reduzir o estresse. Quando nos envolvemos nesse tipo de contato físico íntimo, nós temos uma leve queda na pressão arterial”, diz Emma Yann Zhang, uma das principais responsáveis pela invenção do protótipo, ainda sobre os benefícios do beijo na boca na vida de um casal – se relacionando à distância ou não.

Pois é, o projeto é um tanto quanto excêntrico e pode ser visto pela maioria das pessoas como algo que não tenha futuro, porém, para pessoas que sofrem com a distancia, todo tipo de ideia que consiga ajudar a minimizar a saudade é válida.

E então, você utilizaria esse dispositivo? Deixe a resposta nos comentários.

Fonte: delas.ig.com.br

Deixe seu comentário